#291: Crise política

Paulinho Degaspari, Adriana Degaspari, Cassiano LuzCacau Marques e Guilherme Burjack se reúnem para compreender o cenário político atual, tentar entender a motivação do povo quando discute política e descobrir qual deve ser nosso papel no meio de toda essa confusão.

Duração: 00:54:08

» Comprometa-se com nosso ministério na internet

#ficadica:

CONTEÚDO RELACIONADO

  • https://www.irmaos.com/membro/claudiosilva/ Cláudio Antônio da Silva

    Boa essa hein! Iniciar a terça ouvindo PodCast quentinho, vamos nessa!!!

  • https://www.irmaos.com/membro/claudiosilva/ Cláudio Antônio da Silva

    Está feito Paulinho, já que tu disse que eu podia comentar e depois voltar e comentar de novo, aqui está.

    Este episódio está excelentíssimo, um assunto de extremo interesse e em especial sendo trato com toda a seriedade que se deve.

    Penso que, precisamos aprender muito ainda a respeito de como podemos, como crentes que somos, estar envolvidos nestas questões em nosso país, sem ser de forma ofensiva como tem acontecido na maioria dos casos nessa situação em que vivemos, precisamos gastar muito mais tempo orando pelos governantes e pelo povo, isso fará muito mais diferença.

    Parabéns pelo excelente episódio.

  • http://facebook.com/charllynstoncardoso Charllynston Cardoso

    ”Eu não gosto de política,deixo esse assunto para os políticos”. Essa é a frase preferida dos aproveitadores no poder. A situação vai continuar cômoda para eles enquanto a massa encarar as discussões políticas como algo chato de se abordar, enquanto defendermos nossos partidos de preferência como quem defende seu time,invés de desenvolver um raciocínio crítico a respeito da real situação do poder público,vamos continuar perdendo o jogo . Vamos continuar sendo vítimas do ”pão e circo” daqueles que só enxergam os os próprios interesses. Nós como cristãos devemos agir com sabedoria,sem incitar a violência como temos visto,sem nos esquecer de orarmos, afinal, é como guerreamos. Sem fazer parte daqueles que se enfurecem e acabam agindo contra os princípios cristãos, que possamos partilhar da ”graça da garça” A arte de viver em meio a lama sem sujar as vestes como diria o grupo ”Estratagema de Deus”. Parabéns pelo Pod, foi top como sempre!

  • Paulo Silas Junior (JUNINHO)

    Conheci o site através do meu amigo e irmão Sinval Junior e tenho sido muito abençoado.
    Fiquei viciado em ouvir os podcats e gostei muito deste último, em especial a fala no final (aos 46’08”), é exatamente o que eu vinha pensando de uns tempos para cá… Mais amor e compaixão e menos rancor…
    Bem legal mesmo… Abraços.
    Ps. Mandem um abraços para o pessoal do Sul do Brasil em especial o pessoal de Florianópolis!

  • https://www.irmaos.com/membro/adriana/ Adriana Degaspari

    Uau! Terminei de ouvir e gostei muito do resultado final! Fiquei feliz demais!

  • https://www.irmaos.com/membro/aldean/ Aldean

    Penso que o cristão precisa se informar e se posicionar de forma critica e coerente, levando em consideração o todo (social,econômico, educacional e politico). Evitando o extremo buscando o equilíbrio. Este é um espaço de uma boa reflexão, parabéns Paulinho por mais um podcast top! Oremos pela Presidente Dilma.

  • http://youtube.com/canalnagringa Thiago bernardes

    Hi people. Muito show o pod. Abs do Thiago Na Gringa.

  • https://www.irmaos.com/membro/lplopes/ Luciano Lopes

    Podcast ouvindo…

  • Beto Fonseca

    Ola pessoas!!!
    Aqui éo Alberto de Curitiba mas, que vive em Omaha, Nebraska. Política é um assunto que eu sempre estou debatendo com minha esposa que é Peruana e com amigos de varias partes do mundo!
    Tenho acompanhado tanto ai no Brasil essa crise política, como aqui nos EUA em ano eleitoral presidencial! Eé muito triste mesmo ver como as pessoas são levadas como o vento daqui pra lá principalmente pela mídia, rebaixando o debate democrático e construtivo, a uma novela da vida real de quem é mais poderoso e vaidoso.
    Tenho militado aqui por Bernie Sanders, por ser o candidato que mais representa ideais e idéias que eu também acredito que seriam melhores para os EUA e mundo, e ter um histórico que realmente prova que ele governaria para o povo, sendo o primeiro candidato a ser financiado mais de 95% por doações espontâneas dos próprios cidadãos, ao invés dos outros candidatos, que como no Brasil estão vendidos para centenas de bilionários como tem acontecido aqui!
    Agradeço a Deus por vocês e por terem tocado nesse tema tão controverso, partidário e complexo novamente, creio que nós como cristãos participamos de um Reino eterno de amor, paz, alegria e justiça, governados pelo nosso Rei Jesus Cristo!!!
    Porém nesse mundo material onde vivemos por um pequeno espaço de tempo, que é governado por principados e potestades (mamom e dinheiro), nossa obrigação como cristãos é testemunhar ao mundo que existe outro Reino subvertendo a ordem atual! Assim na terra como nos céus!!!
    Muito obrigado Paulinho, Adriana e todos que fazem parte desse ministério, por dedicar tantos anos, construindo o Reino celestial aqui na terra! Deus os recompense e os abençoe sempre!

    Abração, hermanos!

    Thank you!

  • https://www.irmaos.com/membro/amarildo/ Amarildo Rocha

    Muito bom! Parabéns, providencial o tema , e também muito bem desenvolvido. Me chamou a atenção a abordagem do Cassiano, quando ele fala sobre o que virá depois, e isto é realmente preocupante.
    Escrevi este texto em junho de 2013, por ocasião das manifestações que causaram grande impacto naquela época.

    Os guardiões
    Os acontecimentos dos últimos dias tem mexido com as emoções de todos os brasileiros. Tenho feito uma análise comparativa entre os fatos atuais e históricos. Concluo que é muito bonito e muito bom o que estão fazendo, fico muito orgulhoso de nossos jovens, mas se não houver uma transformação de mente, tudo se repetirá. Derrubaram a ditadura, participei das diretas já, na época com 21 anos, os caras pintadas derrubaram o Collor, e o único saldo que ficou foi a troca de poder. Agora esta geração, salvo alguns atos de vandalismo, que considero ínfimos diante de tudo, me parece maravilhosa, mas não gostaria de ver novamente só uma troca de poder. Podemos ver claramente, os militantes que derrubaram a ditadura e lideraram as diretas já, comandando a nação hoje, como nossa presidenta e todo o PT, que nasceu e cresceu alavancado por estes movimentos. Os caras pintadas também chegaram ao poder, e já formam um grande contingente entre os prefeitos, câmaras municipais, estaduais e até no Congresso Nacional, mas, como podemos perceber, nada mudou.
    É de vital importância o entendimento da história, para que os objetivos sejam atingidos, as manifestações do passado cumpriram com o propósito inicial de causar um grande abalo ao sistema, mas o povo não foi o principal privilegiado, a ditadura foi derrubada, a democracia voltou a reinar no Brasil, e o povo ganhou de brinde uma inflação de 80% ao mês. Nos anos 90, Fernando Collor foi derrubado, a inflação controlada, mas o país foi sucateado, primeiro com a venda inescrupulosa das estatais, depois o descaso com o patrimônio público, e caminhando lado a lado a corrupção e impunidade que culminaram no caos que vivemos hoje.
    Os políticos não vieram de outro planeta, ou se quer de outro país, são frutos do povo, emanam do meio do povo, a cultura que moldou sua personalidade é a cultura do povo brasileiro. Bananeira não produz abacaxi, nunca poderá nascer políticos suíços da cultura famigerada de levar vantagem em tudo. Se esta mesma geração que está nas ruas não extirpar de seu comportamento coisas como “o jeitinho brasileiro”, “a malandragem brasileira”, chegar à faculdade sustentada na cola, falsificação do Enem, os jovens pertencentes às classes dominantes que certamente comporão a maior parte dos quadros políticos do futuro aprenderem que não devem pisar os mais humildes, que não deve usar o poder do dinheiro para se chegar onde quer, infelizmente nada mudará, novamente veremos uma geração que se levanta mostra sua força e depois se incorpora ao sistema.
    A palavra de Deus em Tg 3:12 diz: “Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas, ou a videira figos? Assim tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce”. Pode a cultura de sonegar impostos, de comprar e vender votos, de aplicar e compactuar com pequenos golpes produzir políticos honestos?
    O único caminho para uma mudança real é esta juventude usar sua força para mudar a cultura. Ser intolerante não só com os políticos, mas com todo tipo de desonestidade, seja em casa, no trabalho, na escola e em todos os relacionamentos. Não condescender com nenhum tipo de falcatrua, mentira e corrupção, mesmo que isto a primeira vista traga algum tipo de prejuízo, se o que queremos é moralidade, temos que praticar a moralidade. Cuidar da arvore é fundamental para uma safra sadia. Só uma sociedade renovada pode gerar políticos renovados, resolver tudo nas próximas eleições é trocar seis por meia dúzia.
    Esta geração tem em suas mãos uma grande responsabilidade, primeiro buscar sua própria transformação, o que não é nada fácil, a memória corrupta do cidadão brasileiro não pode simplesmente ser apagada, não é como no computador, que simplesmente deletamos, existe um processo, uma luta interior, e muitas vezes abrir mão do lucro fácil pode ser doloroso, mas não há outro caminho. O segundo passo é cuidar da geração seguinte, seus filhos, sobrinhos, irmãos mais novos e etc. Também não é uma tarefa fácil, mas conta com um fator muito positivo, eles não tem a cultura da corrupção plantada em suas mentes, e é notório o código moral elevado de nossas crianças, tenho falado constantemente dessa geração que está chegando, a Geração de João Batista, eles nascem prontos para receber uma educação diferenciada, o que torna a missão um pouco mais fácil.
    Sei no entanto, que um processo de erradicação da corrupção no Brasil pela transformação de comportamento dos jovens e a educação das crianças levará décadas, mas é a única forma segura e concreta.
    Sei também que saúde, segurança, educação e vários outros setores não podem esperar décadas, portanto o tratamento de choque se faz necessário, e mesmo que seja por pressão, conveniência ou medo, a constituição tem que ser cumprida, a justiça tem que prevalecer, garantindo o cumprimento dos direitos e deveres de todos os cidadãos brasileiros.
    E que deste momento histórico, até que tenhamos uma nova cultura, ancorada em padrões morais e éticos satisfatórios, a força demonstrada possa fazer desta geração a guardiã, a tutora de nossa carta magna, coisa que os três poderes constituídos para esta missão, não se mostraram capazes.

    Rm 12:2 “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”.
    Amarildo Rocha.
    24/06/2013

  • https://www.irmaos.com/membro/welbereano/ Welber Pacheco Martins

    momento confissão: Na época da ultima eleição onde os debates foram bem acirrados: Eu falei uma besteira para uma amiga do Facebook , uma guria que eu estimava muito, ela me bloqueou.
    Hoje trocaria todo aquele debate pela amizade dela, até torceria para que eu ñ tivesse razão, e que o governo da DILMA foçe bem sucedido. Mas aconteceu ñ tive nem chance de pedi perdão e esse epísodio me fez refletir muito, otimo podcast obrigado DEUS abençoe vocês.

    • SILVA SILVANA

      Você não foi o único que perdeu amigo por culpa das eleições de 2014… Relaxa homi.

  • SILVA SILVANA

    Confesso que estou obscecada em me informar sobre essa crise, então amei esse episódio.
    Vocês falaram 1985 como ano da primeira eleição direta (entendi isso), mas na verdade, nosso primeiro presidente eleito diretamente após 1964 foi o Collor, não Tancredo (que concorreu com o Maluf). E, quando criança, me lembro de discussões bem duras dentro da minha casa, entre 2 tios petistas enfermos e minha mãe e avó “colloridas”. Era no mesmo nível de hoje, minha mãe chamando o lula de baixinho, feio e analfabeto e a minha tia chamando o Collor de almofadinha playboy. E se conversarmos com pessoas de 70, 80 anos, vc vai ouvir sobre as grandes brigas de família relacionadas aos partidários de Carlos Lacerda e Getúlio Vargas.
    Então, o que mudou hoje foi a amplitude da discussão, não discutir política em si.
    Sobre o que vocês comentaram dos protestos, discordo. 3 milhões de pessoas é absolutamente um número significativo, não importa qual a motivação. Tirar mais de 1 milhão de brasileiros de casa, sem ser pra micareta, carnaval de Salvador ou queima de fogos em Copacabana, é uma façanha. Somos 200 milhões, mas não temos a mesma tradição de outros povos, que protesta por qualquer motivo justo. Os protestos tem motivação heterogênea, mas o movimento em si já é um mérito. Não consigo ver relativismo nisso.
    A respeito da bandeira política e o cristianismo, no mundo plural em que vivemos, eu defendo a liberdade de opinião de cada um, e sobretudo a liberdade de discussão. O mal que vejo hoje é a nossa perda da dialética. Não conseguimos discutir ideias, perdemos a capacidade de raciocinar sobre o que o outro diz e responder a isso. Esse exercício civilizado foi substituído por troca de ofensas precoces. Defendo que escolas, e qualquer grupo social (inclusive igrejas), resgatem a importância da discussão sadia e respeitosa, mesmo que junte cozinhas, petralhas, reacionários, liberais, calvinistas, arminianos, etc.
    E viva nosso país que nos permite falar de tudo, até mal da Dilma rsrsrsrsrs

    • https://www.irmaos.com/membro/paul/ Paulinho Degaspari

      Muito bem observado sobre a eleição de Tancredo/Sarney. Vivi isso mas parece que faz tanto tempo que já esqueci! hehehe. Farei a devida errata no próximo programa.

  • Everson – Londres

    Ótimo pod, gostaria de começar a discordar do Cassiano, nem todos podem ser a mesma coisa? Sim, todos devem lutar? Sim, talvez esse sentimento venha do coração: Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, isso esclarece muita coisa principalmente para os cristãos. Omissão! Não, mas indignação a fim de mudar as coisas? Sim, os brasileiros se conformam com tudo, com os impostos, com a injustiça com a violência e o roubo. Puxar a carroça do conformismo.

    Eu tenho um pouco de nojo das igrejas omissas, Jesus nunca foi omisso, era amoroso, mas tinha opinião forte, criticava quando devia criticar, meteu o chicote nos vendilhões do templo, raça de víboras lembra?

    Se você tem filhos, eles são o seu reflexo. E suas atitudes irão definir o caráter ações e o futuro deles, ou seja: justiça, mansidão, amor, perdão, lutar ou morrer por algo que valha a pena.

    Eu concordo com o sistema capitalista, funciona bem, porém eu sou contra o abuso desse sistema e a hipocrisia de muitos socialistas que metem pau no sistema, mas são consumidores ferrenhos dos produtos do opressor capitalista. Sem noção!

    Em relação aos projetos sociais, Jesus foi bem claro, amar o outro como a si mesmo bem objetivo, então eu sou a favor de entidades que ajudam o mais necessitados, e recursos dos impostos desde que haja supervisão e mecanismos para que as pessoas possam evoluir intelectualmente e profissionalmente.

    A mesma hipocrisia acontece com os capitalistas de direita, o cara perdeu, faliu a empresa, acontece alguma tragédia natural, como acontece no Brasil, e no olho do furacão à direita e esquerda se abraçam e não recusam doações. Somos complexos não é mesmo?

    Eu fico perplexo ao ver cristãos e entidades religiosas levantando a bandeira comunista, imaginem o Joseph Stalin levando uma bíblia e orando por cada prisioneiro antes de sua execução.

    Eu discordo um pouco com Adriana, a gente não pode espiritualizar tudo, e Lutero? Com certeza ele orou se indignou, mas teve que agir colocar a cara e a vida em risco e até mesmo ser um pouco mais rígido e mesmo assim Deus foi com ele.

    Cara Dri, se um ladrão invade a minha casa, e se depois do ato eu sair ileso, a primeira coisa é agradecer a Deus pelo grande livramento e acionar as autoridades competentes, mas infelizmente você descobre que grande parte das autoridades competentes está de mãos dadas com o meliante, após alguns dias esse mesmo ladrão retorna e ainda me ameaça dizendo que não adianta denunciar ele continuará retornando, pois ele é intocável.

    Bem parecido com a situação política no Brasil?

    Então o que fazer? Ficar orando e se lamentando com Deus pedindo para que um raio caia na cabeça do ladrão ou que o próprio Deus converta o malandro? Fala sério!

    Em algum momento eu deverei agir pedir coragem e o livramento ao Senhor, pois o ladrão talvez além de saquear os meus bens ele poderá por em risco toda a minha casa, então da próxima vez que ele retornar eu irei agir espiritualmente confiante no meu Deus sabendo que eu suportei o meu limite.

    Uma coisa é ser cristão manso, mas não confunda mansidão com ser tapado, na bíblia diz: manso como uma pomba, mas prudente como uma serpente.

    Já que você citou Salomão: O que segue é ainda dos sábios: Não é bom mostrar-se parcial no julgamento. Ao que diz ao culpado: Tu és inocente, os povos o amaldiçoarão, as nações o abominarão.
    Provérbios 24:23, 24

    Diz aí! Alguma revolução ganha no grito? As guerras bíblicas os soldados faziam guerras de travesseiros?

    Eu fico angustiado vendo alguns cristãos romanceando Karl Marx, cara quantas vezes eu assistia alguns hangouts de esquerda só para não tirar ideias precipitadas, os caras do hangout tendo como tutor um venezuelano dando pitaco como as coisas devem ser feitas no Brasil.

    Alguns dos brasileiros eram professores, e os caras não debatiam as evidências de corrupção dos partidos, eles ignoravam as evidências e idolatravam os lideres e a ideologia, uma grande controvérsia berando a loucura, um ateu com uma fé de remover montanhas lutando e defendendo sua religião, partido + ideologia. Isso é preocupante, pois muitos pais não tem ideia que seus filhos estão sendo doutrinados em muitas escolas e universidades públicas.

    Olha o paradoxo: os cristãos aguardam o messias. O salvador, líder, um guerreiro, vencedor.
    Os brasileiros aguardam um messias politico. O salvador, líder, um guerreiro, vencedor.

    Acreditar na política e nos políticos é idiotice, aos cristãos extremistas, meus pêsames, aos cristãos de esquerda, principalmente os que adoram romancear Karl Marx: o senhor nos compara a ovelhas, mas algumas pessoas se confundem, acham que a comparação era referente ao burrinho.

    José foi levantado para um proposito, foi bem sucedido, mas nunca deixou de ser José, homem que foi levantado para ajudar e servir o seu Deus abençoou o povo e prosperou o Egito e de sobra livrou ajudou o seu povo. Ele foi bem sucedido, pois ele não tinha partido.

    Finalizando, eu sou dono da razão? Claro que não, nunca serei, mas tenho minhas convicções, posso mudar de ideia? Sim, em relação à doutrina comunista implantada no Brasil? Essa eu abomino.

    Abraço pessoal.

  • Ernesto dos Santos

    Olaaa pessoas, primeiro mando um abraco a toda equipe do irmaos.com e depois venho me desculpar por nunca antes ter comentado aqui no site. Mas bom, muito obrigado galera voces tem abencoado bastante a a minha Vida, eu sou de Mocambique, mas a cada podcast eu consigo perceber que o corpo de cristo e uno e nao tem nacionalidades, racas, cores, etc. Deus tem se usado de voces para falar ao meu coracao a cada podcast, por exemplo nesse pod. falaram acerca da tolerancia e de acima de tudo sermos quem realmente somos e acima de tudo conseguir dar a nossa opiniao sem ferir os outros sem agir com ira. Bom eu me encontrava em uma situacao em que fui injusticado e esse podcast me levou a perdoar essas pessoas. Depois do perdao eu pude ver e sentir a grande Gloria de Deus… Me senti liberto de um peso enorme, entao eu perdoei e fui pedir perdao a elas reconhecendo que todos somos pecadores e foi ai que entendi o verdadeiro perdoar 70×7. Eu agradeco muito a voces por existirem e espero que Deus continue os abencoando. um abraco bem forte

    • https://www.irmaos.com/membro/paul/ Paulinho Degaspari

      Poxa, Enesto! Que legal ler seu comentário. Mesmo falando sobre a crise política do Brasil, fico muito feliz que você teve uma aplicação do conteúdo aí do outro lado do Atlântico. Obrigado por comentar. Amamos nossos irmãos africanos!

  • Ludmilla Hanna

    Olá pessoas!
    Esta é a primeira vez que comento no irmãos.com. Tenho que agradecer a Deus pela vida de vocês e por este ministério abençoado!
    Tenho me incomodado muito com as discussões geradas por toda essa crise política. Concordo com o que foi dito no programa, há muito mais problemas que devem ser discutidos e que a maioria não está enxergando. Nós cristãos deveríamos ser mais espirituais neste momento e não atacar uns aos outros por causa de opiniões diferentes. Meu comentário é para agradecer por este programa que me trouxe paz ao meu coração! As palavras de vocês me confortaram! Espero que Deus continue a abençoar o ministério de vocês!

  • Larissa Popex

    Muito Obrigada!!
    Esse pod conforta o meu coração e me faz ver que não estou sozinha! Infelizmente vivemos numa sociedade individualista que só reclama quando doi no que é seu. E agora esta doendo em quem sabe e pode reclamar.
    No meu ciclo de relacionamentos eu não me posiciono, não discuto sobre politica, pois sempre sou tida como alienada. Pessoas muito revoltadas contra o mal que estão sofrendo e não com a corrupção e si. Como sempre digo, na politica brasileira, poucos governam para a população e sim para os seus próprios interesses. E é o que esta acontecendo nas ruas agora, acada um defendendo o seus interesses e não o que é importante para toda a nação.

  • https://www.irmaos.com/membro/c4ptain/ Cristiano Almeida

    Irmãos, gostei muito do bate papo. Gostaria de apresentar algumas ponderações e dúvidas.

    Vocês praticamente não abordaram a questão da nota que a liderança brasileira da TMI lançou sobre a situação política. Como vocês possuem ligação direta com esse movimento teológico, suponho que sentiram bastante a repercussão negativa que ocorreu, especialmente vinda dos próprios cristãos. Posso dizer que, do meu ponto de vista, a nota apresentava alguns bons argumentos, mas estava contaminada por ideologias e por um intertexto favorável ao atual governo. Me decepcionei um pouco, mas minha maior tristeza foi ver que isso só aumentou no meio cristão o repúdio à TMI. Essa tristeza só aumenta quando enxergo que a TMI em si é, não um movimento político, mas uma ótima visão a respeito do evangelho. E é essa visão que está sendo repudiada por causa de um posicionamento político. Grande tristeza.

    Porém também reflito sobre outros líderes cristãos bem conceituados que estão se posicionando veementemente contra o governo atual. E logo penso, como também estes devem estar sendo repudiados por quem é pró-governo.

    Confesso que fico confuso. Vejam bem, não nego que cada um de nós tem direito a opinião política, independente de estarmos certos ou errados/enganados. Mas será que não estamos de alguma forma permitindo que ela acabe atrapalhando pessoas de se chegarem a Cristo? Vale a pena sermos incisivos nos posicionamentos políticos? Sermos representantes de algo maior do que isso deve nos impelir ao protesto “partidário” aberto ou nos afastar dele? O Reino está sendo mesmo prejudicado? Isso tem valido à pena?

    Que Deus nos dê sabedoria. Eu confesso que preciso muito dela.

    • https://www.irmaos.com/membro/paul/ Paulinho Degaspari

      Cristiano, as suas questões são muito parecidas com as minhas e também não tenho resposta para isso. Também peço sabedoria a Deus. O que sei é que nossos relacionamentos são muito mais importantes que nosso posicionamento político.

  • https://www.irmaos.com/membro/lplopes/ Luciano Lopes

    Terminei de ouvir o podcast nei sempre consigo voltar comentar podcast pelo fato de ouvir diferentes podcasts como também por questão de tempo, sobre o programa descordo com quase tudo que foi comentado, é difícil fazer uma leitura sobre as vozes das ruas são diferentes vozes embora a verdade todas referentes a insatisfação com o governo ( sim mídia tem uma certa influência) mas “qualquer brasileiro” tem a noção suficiente e esta absolutamente descontente com o governo a questão não relativa, os que vão as ruas gritando “não vai ter golpe” também tem seus interesses exemplos servidores públicos, sindicalistas e políticos etc.., acho importante o todo cidadão brasileiro se manifestar contra ou a favor do governo ate mesmo em redes sociais é obvio que fazendo isso não significa que o opinião de A ou B mudará, não vou as ruas mas apoio que vai, imagina como seria se o brasileiro não indignasse com a situação do nosso país penso que seria pior e melhor para nossos políticos, concordo sobre a divisão que ter acontecido principalmente pontos e opiniões diferentes de igrejas e lideres falta de respeito talvez em alguns casos por falta de maturidade enfim não devemos esquecer que nossa principal arma é a oração.

    • https://www.irmaos.com/membro/paul/ Paulinho Degaspari

      Estranho, Luciano. Você disse que discorda de quase tudo mas tudo o que você comentou foi o que falamos no programa. Não dissemos em nenhum momento que não podemos nos manifestar. Muito pelo contrário. Este é um direito nosso. A questão é que nossas opiniões políticas não podem ser mais importantes que nossos relacionamentos.

      • https://www.irmaos.com/membro/lplopes/ Luciano Lopes

        quase tudo não é mesmo que tudo, apenas citei algumas opiniões que penso a respeito do assunto,a questão não é relativa conforme disse Cassiano…, sobre a relacionamentos sem dúvidas nada é mais importante, mas não vejo nenhum problema conversar sobre o assunto como também usar redes sociais a questão é como usar, abraço.

  • https://www.irmaos.com/membro/elias/ Elias Paiva

    Puxa vida. Pessoal está caprichando nos comentários. Nem dá pra ler tudo. Muita coisa pra pouco tempo. Gostei muito do podcast. Estão como sempre de parabéns. Tem rumores sobre pessoas que admiro que nem sei bem o que querem dizer. Abraço irmãos.

  • https://www.irmaos.com/membro/vinartes/ Vinícius Augusto da Silva

    Muito bom esse episódio. É legal ouvir algumas vozes lúcidas, que não estão indo na onda midiática. As pessoas querem avançar e para isso, elas entendem que precisam tomar partido e “defender” um dos polos dessa disputa pendular que é presente na história recente do nosso país. CS Lewis diz algo que nos ajuda a pensar… Parafraseando: “Ir adiante nem sempre é avançar, pois se estivermos no caminho errado, quanto mais adiante formos, mais longe estaremos do caminho certo. Retroceder, em muitos casos, pode ser progredir.” Eu penso nisso olhando para essa conjuntura atual, onde todos querem levar adiante seus próprios planos, mas não param para refletirem em suas atitudes. Nós enquanto cristãos, progredimos mais quando nos colocamos aos pés de Jesus, como Maria, do que quando avançamos para uma polarização que nos priva de termos uma visão mais ampla da situação. Esse podcast foi isso: Um momento pra pensar o assunto e não apenas para emitir opiniões e fazer apostas como quem assiste a uma corrida de cavalos, torcendo para que o seu preferido vença. Parabéns!!!

  • https://www.irmaos.com/membro/gesiel/ Gesiel de Oliveira

    Gostei bastando do programa, vocês como sempre, conseguindo suavizar e transmitir de uma forma tão compreensível assuntos tão polêmicos. Aproveito o ensejo para parabenizar o Paulinho pela nova “roupagem” do site, gostei bastante. Um forte abraço e que Deus abençoe a cada um.

  • Osman Baena

    Comecei a ouvir o Podcast. Quando ouvi opiniões que demonstram uma tendência política com a qual não concordo, já me armei com uma dúzia de pedras nas mãos.
    E continuei ouvindo. Em alguns momentos ergui a mão, pronto para atirar as pedras. Declarei a mim mesmo: nos comentários eu rebato tudo isso.
    A tendência de atirar pedras é algo tão terrível que, em alguns momentos, mirei as pedras não no texto dito, mas no interlocutor.
    Mas Deus tem usado irmãos.com. E as falas seguiram, acalmando minha exaltação.
    Até eu perceber que esse podcast não tratava de política.
    Não era sobre direita ou esquerda. Sobre Impeachment ou golpe.
    Era sobre pedras.

  • https://www.irmaos.com/membro/milinhajp/ Camila C Cassiano de Paiva

    Então estou de volta nos comentários…. gostei muito desse podcast, e realmente concordo quando foi dito que precisamos muito mais orar pelas nossas autoridades do que ficar falando ou defendendo algum partido e seus feitos… ate mesmo porque muitas vezes gera conflitos familiares e fica uma situação de desconforto geral.
    Infelizmente vemos muitas pessoas sendo atingidas pela crise politica e financeira em nosso pais, muito desemprego e muitas historias tristes de cortar o coração mesmo, e é ai que temos mesmo que demostrar que somos um povo diferente e que podemos oferecer uma ajuda aquelas famílias atingidas em um grau maior….que DEUS abençoe cada irmão que participou desse podcast… e que façamos a diferença em todo o tempo!!