#301: A essência do voluntariado

Paulinho Degaspari, Adriana Degaspari, Cacau MarquesSara Macedo e Thiago Faria oferecem seus talentos e vêm discutir sobre voluntariado. Entenda a diferença entre o transatlântico e o barco à vela, saiba quem gosta de mandar um pouco e separe seu melhor tempo para servir aos outros.

Duração: 01:04:02

» Conheça o Coaching Cristão
» Seja nosso mantenedor

CONTEÚDO RELACIONADO

  • https://www.irmaos.com/membro/elias/ Elias Paiva

    Que agradável surpresa. Chegar e poder ser o primeiro a comentar. Ainda estou em dívida, pois não ouvi o #300, mas, devo ouvir os 2 amanhã.

  • https://www.irmaos.com/membro/claudiosilva/ Cláudio Antônio da Silva

    Excelente episódio, Elias Paiva me desbancou, mas está valendo, foi muito bom ouvir esse PodCast, me fez relembrar algumas histórias de voluntariado.

  • Douglas Leandro

    Parabéns!
    Ótimo podcast. Todos os discípulos de jesus, devem ser voluntários. Como os apóstolos foram. Tudo por amor a Deus e a Jesus.

  • Lucas Teixeira

    Olá, sou um quase novo ouvinte e tenho gostado muito de todos os programas… minha dúvida sobre este é a diferença entre servo e voluntário… acredito que todo o “voluntariado” que realizamos independente se na igreja ou fora, estamos diretamente servindo a Deus, nos colocando na posição de servos, pois o voluntário ainda tem a opção de realizar ou não já como servos não temos essa opção fazemos para Deus. Acho que o maior problema que temos passado hoje na igreja é esse as pessoas convertidas e que acreditam que sua participação dentro do corpo de cristo é um voluntariado e na verdade o correto seria a posição de servos, onde Deus as vezes irá nos chamar para realizar algo que não queremos mas como servos temos que obedecer. Não é uma posição formada foi algo que fiquei com uma puga atrás da orelha. O que acham?

    • https://www.irmaos.com/membro/paul/ Paulinho Degaspari

      Oi Lucas. Interessante sua dúvida. Acredito que, como cristãos, somos todos servos. O trabalho que realizamos é voluntário porque, sim, temos a opção de não fazê-lo. Mas, a partir do momento que temos a convicção do chamado de Deus para aquele trabalho, nós, como servos, devemos obedecê-lo.

      • Lucas Teixeira

        Bacana, então não estou viajando tanto… rsrs, mais uma vez obrigado pelo pelos podcasts e pelos conhecimentos e bênçãos divididas…

    • Rafael Paiva da Silva

      Blz Lucas? Eu acredito que essa diferenciação entre servo e voluntário é muito pregada em igrejas que possuem o sistema G12, onde o foco é o crescimento, então dizem que todo crente TEM QUE SERVIR, para que assim a igreja local cresça. Mas como o Paulinho bem disse, os cristãos são servos, mesmo que não na igreja, podemos servir nossa família, vizinhos, etc.

  • http://3scriacao.com Alex

    Eu comecei minha “carreira evangélica” em uma igreja pequena do tipo, ou você ta ajudando ou ta atrapalhando ou não se converteu ainda; então já fiz de tudo um pouco. Lavar igreja, ajudar a pintar, passa hino no projetor, aula pra criança, pra jovem, pra adulto, líder de jovens e adolescentes, servir bolo e refrigerante nas festinhas, carregar instrumentos de som, organizar acampamento, tudo isso enquanto ainda achava que isso era ministerial, e no meio disso ai virei “design”(to de zua). Hoje em uma igreja grande, coloquei minha profissão como voluntário e à disposição e tem sido realmente muito gratificante. Na minha profissão quando apresento o trabalho espero, louros e agradecimentos, na igreja espero o mínimo de holofote, não sei se é só comigo mas me constrange bastante estar em evidência pelo trabalho voluntário.
    No livro “O impostor que vive em mim” tem uma frase que me leva a este questionamento sempre …como me livrar de um defeito que se alimenta das minhas qualidades…” e é um contraponto ao fato de ter gente muito muito talentosa como voluntário para ter palco ou projeção, contra o não talentoso com muito amor e dedicação.

  • https://www.irmaos.com/membro/amandacrda/ amanda crda

    Muito bom o bate-papo!

    Eu super apoio o trabalho voluntário e sempre fui voluntária, mas eu sempre vivi um conflito: não sei a linha que separa o serviço voluntário da exploração.

    Acho que não sou a única que tem esse conflito… :/

  • https://www.irmaos.com/membro/joaocrz/ João Cruz

    Estou como diácono na minha igreja há uns 9 anos, tenho 33; mas sempre gostei de ajudar em tudo que estava precisando, desde a colocar massinha nos vidros até servir a ceia. Sirvo a Deus em uma igreja grande, no qual se a pessoa não se controlar ela fica na igreja de segunda a segunda, cheguei ao ponto de estar como secretário dos jovens, professor no departamento infantil, tenor do grupo dos jovens, músico da orquestra e participar do corpo diaconal. Isso me deixou tão cansado que ao me casar no final do ano passado, deixei tudo e passei a participar apenas da orquestra, e digo uma coisa: Como é bom você se sentar e ouvir a mensagem…