“Oi Dani, tudo bem? Me chamo Lorena e tenho 23 anos. Depois de um bom tempo sozinha, Deus me deu alguém e estamos noivos e planejando nosso casamento. Porém há um problema e foi por isso que decidi te escrever. Com a aproximação do casamento as coisas tem esquentado, me levando a desejar intensamente o ato sexual com ele o mais rápido possível. Há um tabu que eu mesma criei. Por ser cristã e conservadora (tanto no falar, quanto no vestir), fico aflita do meu futuro esposo se assustar com a minha intensidade sexual. Tenho lutado contra as fantasias e sonho regularmente que estou fazendo sexo com ele. Por favor, me ajuda!”

Oi Lorena, tudo bem? Agradeço pela confiança em se abrir. Os tabus a respeito do sexo colocados pela igreja no decorrer da história ainda ecoam negativamente sobre a nossa geração e, infelizmente, esse estrago deve levar tempo pra ser recuperado. O desejo sexual ainda é visto por muitos cristãos (e não cristãos também) como algo negativo, quando na verdade deveria ser encarado de forma bastante natural, pois faz parte da natureza, assim como a vontade de fazer xixi.

Se você está sentindo desejo sexual pelo seu noivo (e ele provavelmente deve estar sentindo o mesmo por você), deveria levantar as mãos aos céus e agradecer a Deus por essa maravilhosa bênção! Seu organismo está em ordem! A intensidade que te assusta é esperada, pois encontrou um par que te atrai, te faz pensar na possibilidade da relação sexual e seu corpo está programado para isso. Os sonhos estão totalmente ligados aos acontecimentos do dia, daquilo que às vezes toma tempo do nosso pensamento, por isso não se condene. Tudo está dentro do esperado.

Seu noivo provavelmente vai sentir muita satisfação em saber sobre seu desejo por ele e, já que estão a caminho do casamento, este deveria ser um assunto em pauta. Nós aprendemos a conversar sobre dinheiro, casa, filhos, família, espiritualidade, mas, por vergonha, muitas vezes deixamos de lado um tema essencial, que é o sexo. Exercitem a conversa sobre sexualidade, desejos, fantasias, medos… E por que a necessidade de falar nisso? Para que não hajam surpresas desagradáveis depois do casamento. Para que adentrem a vida a dois já levando esse papo com leveza e naturalidade. Talvez você escute coisas de seu noivo que nem imaginaria, e isso é ótimo! Precisa haver espaço para transparência nessa área, sem julgamentos.

Quando conseguir se conscientizar de que o sexo é criação de Deus, que o desejo sexual é tão fisiológico quanto o processo digestivo, que sentir prazer pelo parceiro é super saudável, provavelmente levará essa questão de forma mais leve.

Por uma série de motivos, a fé cristã recomenda o sexo após o compromisso do casamento, pois levamos muito a sério essa questão. E se vocês partilham dessa mesma fé e decidiram se guardar, recomendo então que evitem momentos a sós, pois faísca perto de palha vira incêndio. Tomem as devidas providências durante o noivado e, depois do casamento, tirem a barriga da miséria (rs).

Tente levar de forma mais tranquila e natural. Isso tudo faz parte do processo. Só recomendo que busque domar o seu desejo, não permitindo que ele domine sua vida, o que é sadio fazer em qualquer outra área. Alguém que compra compulsivamente, adoece mentalmente. Alguém que come descontroladamente, adoece física e mentalmente. Alguém que só pensa em sexo dia e noite, adoece sua mente e relações. Você precisa exercitar estar no controle e isso a gente só consegue praticando bastante. Tempo diário com Deus, oração constante (abrindo o coração geral), palavras que edificam, programas saudáveis, filtrando o que entra na mente, atividades físicas, leituras…  Enfim, ocupe sua mente com outras coisas também e fique em paz, porque é natural que nessa fase o tema “sexo” esteja em destaque. Depois de um tempo as coisas voltam a entrar nos eixos, rs.

  • William Souza

    PREZADA DANI,
    Sou médico, 38 anos, casado há 12 anos e muito feliz no casamento, concordo com QUASE tudo que disse. Já havia ouvido sua participação em podcast com o mesmo tema e notei a mesma discordância que tenho agora. No início do post vc colocou o sexo como algo natural (QUE É VERDADE) tão natural como “fazer xixi” (QUE NÃO É VERDADE – MINHA OPINIÃO).
    O assunto está tratado em 1Co6.13. As necessidades básicas como alimentar-se ou eliminar fluidos fisiológicos são CONDIÇÕES INDISPENSÁVEIS À VIDA, o SEXO é um privilégio e não uma NECESSIDADE, embora concorde que seja NATURAL E AGRADÁVEL aos olhos de Deus dentro do casamento, é claro.
    Nós sós fazemos sexo em uma parte da nossa vida, e náo precisamos dele para viver, por isso não posso aceitá-lo como algo “como urinar, ou como se alimentar”.
    Apelo para que pense naqueles que não podem ter relações sexuais, como pessoas fisicamente doentes, que podem ter desejo, porém não podem ter relações sexuais. É muito cruel classificar sexo como uma necessidade igual à alimentação para aqueles que não podem tê-lo. Isto reforça a tese de que NÃO É UMA NECESSIDADE BÁSICA DE VIDA, mas sim um PRIVILÉGIO DADO POR DEUS para nos abencoar.

    • Welington Leal

      Entendo a colocação tua William. Mas o versiculo diz sobre a imoralidade fora do casamento. Sexo dentro do casamento é belo e moral.

      E assim como o sexo é para o Parceiro e Parceira, é para o Senhor Tb.

      A Biblia não trata doq é natural ou não, necessário ou não na vida.

      Trata da Salvação do Homem e fazer a Vontade de Deus.